Arrecadação do IPTU deve crescer devido ao georreferenciamento

Novas medidas de áreas vistas pelo georreferenciamento devem fazer com que a arrecadação do IPTU em Carazinho chegue a mais de R$ 10 milhões

Foto: Divulgação

Compartilhe

De acordo com o secretário municipal de Fazenda, Adroaldo de Carli, 80% do georreferenciamento já foi feito em Carazinho, trazendo novas medidas de áreas para que sejam ajustadas nos cadastros. Agora, segundo ele, está sendo trabalhada a autorização de ajustes do cadastro do município. “Esse ano fizemos uma estimativa um pouco mais elevada que o normal para a arrecadação do IPTU, de mais de R$ 10 milhões, se confirmando as receitas, por causa do georreferenciamento também”, relatou De Carli.

O aumento de área de alguns contribuintes ainda precisa ser atualizado no cadastro perante o município e, segundo o secretário, é isso que está sendo feito, gerando mudanças. “Consequentemente isso traz um valor de IPTU maior, por consequência do aumento de área, não é aumento de imposto, é aumento de área”, explicou De Carli, que ainda exemplificou. “Algumas pessoas fizeram ampliação da casa, que era de, digamos, 100 metros, passou para 120, então, esses 20 metros a mais são incorporados no cadastro do próximo exercício, de 2019”, reiterou o secretário.

De Carli frisa também que os tributos recebidos no município, quando entram em caixa, são distribuídos 15% para a saúde, 25% para a educação e o restante fica livre, ou seja, vai para infraestrutura do município, despesas gerais de custeio, sendo redistribuídos em todos os patamares de investimento da cidade.

Pagamento

Sobre a forma de pagamento, De Carli afirma que, a princípio, é no dia 11 de março, para aqueles que optarem pela parcela única, com o desconto de 10% no valor total. Para quem decidir parcelar o valor, dessa vez os carnês não serão impressos. “Deu muito problema, o correio não entregou, as pessoas acabaram não recebendo ou perdendo o prazo de pagamento. Então, agora, a pessoa deve vir na arrecadação para pagar ou imprimir o boleto através do site da Prefeitura e atualizar seus valores”, explicou o secretário.

Só será impressa a parcela única, para aqueles que fizerem essa opção. Quem decidir pelas cinco parcelas, deve procurar a Secretaria da Fazenda ou imprimir a cobrança via site, o intuito é tornar o procedimento mais simples. “O vencimento da parcela única é 11 de março. Para quem parcelar, então a primeira fica no dia 10 de abril, seguida de 10 de junho, 10 de agosto, 10 de outubro e 10 de dezembro”, afirmou De Carli.

O valor da parcela mínima é de R$ 40,00 segundo o secretário. Em relação ao desconto da parcela única, de 10%, De Carli afirma que se trata de algo interessante para quem tem condições de fazer o pagamento de uma vez só.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®