Artistas antibolsonaristas fazem lobby contra “ex” colegas na Globo

Márcio Garcia estaria sofrendo lobby de colegas para que seu programa acabe

Foto: Divulgação

Compartilhe

A política arranjou mais uma dor de cabeça para a Globo. A emissora está tendo de administrar um complicado “racha” em seu elenco artístico, tanto o da dramaturgia como o musical. Artistas ditos de “esquerda”, “antibolsonaristas”, estão pressionando colegas acima e abaixo na hierarquia a se recusar a trabalhar ou deixar de convidar ex-colegas que declararam apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Artistas ditos de “esquerda”, “antibolsonaristas”, estão pressionando colegas acima e abaixo na hierarquia a se recusar a trabalhar ou deixar de convidar ex-colegas que declararam apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL)

Não foi apenas Regina Duarte que se tornou “radioativa” no Projac. Cantores e cantoras bolsonaristas também. Atores e atrizes que estão sendo chamados para as próximas produções da emissora, por exemplo, exigem saber antes quem serão os colegas de elenco. Dizem que não querem contracenar com “fascistas”.

Na área de shows, Márcio Garcia está no olho do furacão no Projac, desde que apareceu em foto beijando o então candidato do PSL.

Se o “Tamanho Família” tiver nova temporada em 2019, sua produção terá bastante dificuldade em conseguir convidados na casa. Mas a pressão é para que o programa acabe. Os “antibolsonaristas” também têm feito lobby para que programas de auditório e de musicais da Globo não convidem mais Gusttavo Lima, Zezé Di Camargo, Ferrugem, Jammil, Eduardo Costa, Tati Zaqui, Latino e até a cantora gospel Ana Paula Valadão.

Historicamente a Globo nunca discriminou ou deixou de convidar artistas por causa de suas posições políticas. Porém, jamais houve uma “racha” semelhante em seu elenco.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®