Bebê nasce com mais de cinco quilos em Carazinho

Pedro Soares Vargas nasceu na quarta-feira (31)

Foto: Hospital de Caridade de Carazinho/ reprodução

Compartilhe

Internada na acomodação 201 da Maternidade do Hospital de Caridade de Carazinho, Ana Paula Soares Vargas celebra o nascimento de seu segundo filho, que já veio ao mundo fazendo história. Isso porque, pesando 5,425kg e medindo 51 centímetros, o recém-nascido Pedro Soares Vargas deixou a equipe médica e de enfermagem da instituição de saúde encantada com seu tamanho.

Ana Paula comenta que já imaginava que seu bebê nasceria grande, porém, não com mais de 5 quilos. “Meu primeiro filho também nasceu grande, com 4,815kg”, lembra.  Segundo ela, ainda, seu pré-natal ocorreu de forma tranquila, assim como o parto, realizado por cesariana.

De acordo com a enfermeira obstetra do setor, Viviane Fassini, o caso é inusitado, pois, o recém-nascido é considerando grande para a sua idade gestacional – de 40 semanas e 4 dias. “Normalmente, bebês com essa idade gestacional nascem com no máximo 4,5kg. Além disso, não temos registros de bebês que nasceram, na Maternidade do hospital, com um peso maior que o do Pedro, até então”, destaca.

Ela ressalta, também, que tanto a mãe quanto e recém-nascido são saudáveis, que nenhuma doença foi desenvolvida durante a gestação e que tanto o pré-natal quanto a cesariana ocorreram sem intercorrências. Pedro nasceu na quarta-feira, 31 de outubro, e a previsão é que ele e Ana Paula recebem alta nesta sexta-feira (02).

 

“Receber um bebê saudável e com esse peso foi inédito para mim”, diz obstetra que realizou o parto de Pedro

A médica ginecologista e obstetra que realizou o parto de Pedro, Dra. Hanna Bidel Schwambach, comenta que ao realizar o exame físico obstétrico em Ana Paula – que havia procurado à Maternidade do HCC para uma avaliação do bem-estar fetal -, um dado lhe chamou a atenção: a medida da altura uterina, utilizada como estimativa de crescimento fetal e/ou volume de líquido amniótico, estava acima dos valores de referência, mesmo em fase avançada de gestação. “Questionei a paciente sobre o seu passado obstétrico e ela informou que o seu primeiro bebê teve indicação de cesárea devido ao tamanho”, recorda.

Imaginando que a mesma situação estivesse ocorrendo na gestação atual, a obstetra solicitou um exame de ultrassom, que confirmou suas suspeitas, sugerindo que o bebê realmente poderia estar pesando mais de 4kg. “Todos os outros aspectos do ultrassom estavam normais. Indiquei o parto cesárea por peso fetal sugestivo de macrossomia (feto acima de 4kg). Pedro, nasceu com choro forte, vigoroso, ativo, apresentando uma circular cervical frouxa e líquido amniótico claro e com grumos. Porém, era evidente aos olhos de toda a equipe médica e de enfermagem que ele não era um bebê comum. Claramente, sua estrutura corporal e seu tamanho eram muito superiores aos vistos na nossa rotina obstétrica”, ressalta.

Segundo Dra. Hanna, o peso de Pedro superou o de todos os bebês de que presenciou o nascimento, durante sua prática na obstetrícia. “Receber um bebê saudável e com esse peso foi inédito para mim. Mãe e bebê passaram bem nas primeiras horas pós-cesárea e foram encaminhados para o seu quarto na enfermaria da maternidade como o habitual. Fiquei muito feliz de ter participado desta história. Desejo felicidades a toda família pelo Pedro!”, destaca.

Fonte: HCC

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®