Conceitos realinhados na conservação do solo

Dia de Campo na Embrapa Trigo alinha conhecimentos técnicos com a prática do manejo de solo para aumentar a produtividade nas lavouras

Fotos: Matheus Moraes / Diário

Compartilhe

A parte final do curso Atualização Agronômica em Agricultura Conservacionista, promovida pela Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul (SARGS), em conjunto com a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Porto Alegre (AEAPA) e parceria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Trigo) e apoio da Syngenta, foi realizada com dia de campo na última quarta-feira (10), nas dependências da Embrapa Trigo, às margens da BR 285, em Passo Fundo.

Professor Pedro Selbach acredita que a conservação da água e do solo são um dos maiores desafios no campo

Ao total, foram cerca de 250 produtores rurais e técnicos de empresas do meio rural de 48 municípios da região Norte do Rio Grande do Sul que participaram das quatro estações temáticas que abordaram temas como solo compactado e rotação de culturas. O engenheiro agrônomo da Sociedade Educacional Três de Maio (Setrem), Paulo André Klarmann, viajou quase 250 quilômetros para acompanhar o que considerou um “chamamento”. Segundo ele, o Estado passa por diversos problemas de perdas econômicas com frustrações de safra. Por isso, a atividade foi essencial para treinar a capacitação dos produtores e técnicos. “Nós temos que chamar atenção desses problemas em nível de propriedade rural. Eles são sérios. O RS tem muitas perdas. Seguidamente temos frustrações de milho e soja por falta de um bom manejo. Didaticamente, aqui foi colocado as causas, origens e soluções que devem ser apontadas no meio rural”, declara.

A maneira didática exposta pelo agrônomo se une também ao alinhar a teoria da prática, como declara o professor de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com doutorado em Soil Science, pela University of Wisconsin (EUA), Pedro Alberto Selbach. “A informação tem que chegar ao produtor. As universidades, a Embrapa, os pesquisadores detêm as informações, as pesquisas. Mas não adianta nada se não chegar ao produtor para ele, efetivamente, aplicar. Esse momento é para discutir e mostrar os benefícios de técnicas e tecnologias que são disponibilizadas”, declara.

As quatro temáticas apresentadas foram “solo compactado: o risco de quebra de safras”, “como descompactar o solo para ganhos de produção”, “solo descompactado: impacto na produção de forragem, leite e carne” e “rotação de culturas: impacto na produção de grãos”. Para Selbach, o maior desafio aos produtores ainda é a conservação do solo. “Os produtores estão necessitando de um realinhamento de conceitos que, apesar de antigos, alguns ainda foram esquecidos, então estamos retomando essa atividade. Necessariamente tem que ser visto isso, porque os desafios da conservação da água, onde ela cai na lavoura e consequentemente a conservação do solo segue sendo um dos principais desafios no campo”, conclui o professor.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®