Conhecimento para manter o jovem no campo

Dia de Campo de Hortaliças e Seminário de Horticultura engrandece trabalho dos agricultores da região e mostra caminhos para garantir a sucessão familiar nas lavouras

Fotos: Matheus Moraes | Diário

Compartilhe

O ginásio do distrito de São Roque, no interior de Passo Fundo, foi o local do 4o Dia de Campo de Hortaliças e o 1o Seminário de Horticultura. A forte chuva que pairou sobre a região na manhã dessa quinta-feira (18) fez com que o evento voltado para agricultura fosse transferido para um local coberto. A atividade promovida pela Secretaria de Interior do município e pela Emater/RS e esteve com lotação máxima, com estudantes, produtores e técnicos rurais. Além de Passo Fundo, agricultores de cidades da região como Casca, Lagoa Vermelha, Vila Maria, Não-Me-Toque e Marau.

O dia de campo e o seminário tiveram temas como alternativas de produção e tecnologias sustentáveis em sistema agroecológico, abordados por especialistas da área da Universidade de Passo Fundo (UPF) e da Embrapa Trigo, com o objetivo de propiciar maior produção e renda aos agricultores. Com isso, a possibilidade de manter o jovem no campo cresce e fortalece a sucessão familiar.

O secretário de Interior de Passo Fundo, Antônio Bortolotti, declarou que a agricultura depende da classe trabalhadora de hortifrutigranjeiros. Segundo ele, 80% do que é consumido na cidade é plantado pelo interior. “Nós temos em Passo Fundo a melhor feira do produtor do interior gaúcho. Esse dia de campo vem junto para que os produtores possam fazer seu trabalho como está, cada vez melhor e crescendo. Eles são peças fundamentais para que o alimento chegue para a cidade. Sem eles, a cidade não sobrevive. Sempre digo que os agricultores do interior são mais importantes que os moradores da cidade, porque eles produzem o alimento que é direcionado ao centro e aos bairros da cidade”, declarou.

“Trabalhamos a questão do jovem permanecer na agricultura. Mas para isso, tem que ter renda, dinheiro no bolso, expectativa a mais pela frente. O horti, hoje proporciona agregar mais renda e manter o jovem no campo” Airton Ferreira dos Santos

O gerente regional do Sebrae, César Nascimento, destacou para o público que participou dos seminários de que o agronegócio foi quem segurou a economia do país. Por isso, atrelado ao conhecimento do dia de campo, enfatizou a importância da classe para o desenvolvimento regional e nacional. “Os agricultores presentes no dia de campo são parte da principal fonte de recursos do Brasil. Nos últimos anos, o que segurou o Brasil e o manteve de pé foi o agronegócio, a agricultura. O trabalho do pessoal que veio aqui. Eventos como esse engrandecem o currículo dos agricultores e contribuem significativamente para manter um país mais forte e melhor. Não apenas a região e o Estado, mas todo o Brasil”, pontua.

TROCA DE EXPERIÊNCIAS

O dia de campo e os seminários fomentaram a atividade de horticultura para a região, conforme declara o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Passo Fundo, Airton Ferreira dos Santos. “Uma data que proporcionou a troca de experiências, o conhecimento de novas tecnologias das empresas que trazem isso. Isso tudo se leva para dentro da propriedade, para adequar, ter mais renda e continuar trabalhando pela propriedade”, afirma.

SUCESSÃO RURAL

Um problema apontado por Airton dos Santos, contudo, é quanto a falta de continuidade familiar nas lavouras. Segundo ele, o seminário também contribui para apresentar informações e conhecimentos necessários para aumentar o lucro da propriedade, único meio de segurar o jovem no campo, segundo o presidente do Sindicato. “A sucessão rural é um agravante. Trabalhamos a questão do jovem permanecer na agricultura. Mas para isso, tem que ter renda, dinheiro no bolso, expectativa a mais pela frente. O horti, hoje proporciona agregar mais renda e manter o jovem no campo”, completa.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®