Direção anuncia novidades no EC Passo Fundo

Em noite de posse, ações vão desde a quitação de dívidas a negociação com jogadores, passando por melhorias no Estádio Vermelhão da Serra e acerto com fornecedor de material esportivo

Foto Kleiton Vasconcellos/ Diário

Compartilhe

Mergulhado em uma crise financeira há cerca de dois meses, o cenário parecia de pouco otimismo para o Esporte Clube Passo Fundo. Com dívidas totais superando a casa do milhão de reais, havia inclusive a dúvida de quem comporia uma nova direção. Pois, na noite de terça-feira (09) o Centro de Eventos do Estádio Vermelhão da Serra esteve lotado para ver, mais uma vez, Selvino Ferrão ser empossado como presidente.

Ferrão ocupou o cargo máximo entre 2011 e 2016. Estava no comando quando o Tricolor acendeu da Divisão de Acesso para a Série A do Gauchão, em 2012. Agora volta com a missão de recolocar o clube na Elite. “Estamos voltando para dar mais a esse clube. Enquanto a gente tiver força, vamos fazer o possível e o impossível para que o Passo Fundo volte ao seu lugar na Elite” disse em seu discurso. Antes mesmo de assumir oficialmente, Selvino Ferrão comandou uma série de encontros que culminaram no pagamento de salários de jogadores e funcionários, além de uma negociação com impostos, como o Refis. “Agora é buscar apoio financeiro para fazer o futebol. O campeonato está logo ali na frente e vamos trabalhar também em melhorias no estádio” completou.

Tais melhorias foram anunciadas pelo novo vice-presidente do EC Passo Fundo, Moisés Alves. Ele, que igualmente fazia parte da diretoria em 2012, já obteve apoiadores que vão atuar de maneira intensa no clube. “Fizemos parcerias muito importantes para a estrutura profissional do Passo Fundo e a ideia é ter uma equipe de futebol formada já entre novembro e dezembro, mirando a Divisão de Acesso do ano que vem” contou. Assim, vem mantendo contato inclusive com candidatos ao cargo de técnico da equipe.

De momento, Alves antecipou que o Passo Fundo já tem acerto com uma empresa de material esportivo. É a Clanel, que fornece produtos para o Ypiranga e o Atlântico de Erechim. Pelo acordo firmado, a parceria valerá para todo o ano de 2019, incluindo também uniformes da base. “O acerto é que o clube tente vender 800 camisas, divulgando a marca Clanel” explica. Outro acerto é com a PlaxMetal, empresa que fabricará os bancos de reservas e casamatas, repetindo o que já fez nos estádios de Chapecoense, Avaí e Brusque. Por fim, a Grameira Steffani terá a tarefa de trocar toda a leiva de gramas nas áreas do gramado do estádio, enquanto a Moretto vai substituir todos os móveis dos quartos da concentração dos jogadores do Passo Fundo.

Jogadores

Além de Selvino Ferrão e Moisés Alves, a diretoria empossada conta também com Domingos Morello na outra vice-presidência. Antigo diretor de futebol, Morello afirmou que “estamos voltando porque amamos o Passo Fundo. A gente já tem uma ideia de time. Recebo mais de 10 ligações de jogadores se prontificando a voltar a Passo Fundo. Jogadores que já atuaram aqui e querem ajudar. A gente vai ter o apoio deles”. Entre os nomes já citados no Vermelhão da Serra estão os zagueiros Mário e Gustavo Miranda, o lateral Xaro, o volante Rudiero, o meia Cléverson e o centroavante Michel – todos atualmente em ação por times do Interior, como Novo Hamburgo, Brasil-Pe e Pelotas.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®