Radar

IX Réquiem da Paz emociona o público passo-fundense

Tradicional na história do Memorial Vera Cruz, o Réquiem da Paz é um evento que homenageia as memórias daqueles que já partiram

Fotos: Kassiê de Carvalho / Memorial Vera Cruz

Compartilhe

Com uma sensação boa no coração e lágrimas nos olhos, o público passo-fundense prestigiou, nessa sexta-feira (26), a nona edição do evento que acabou se tornando a solenidade mais esperada do ano.

O momento já faz parte da história do Memorial Vera Cruz. Nascido por um incentivo de Wilson Lill, padre à época, o Réquiem começou a ser pensado quando os restos mortais de Marizete Badotti, falecida esposa do fundador do cemitério, Dalvino Badotti, foram sepultados no Memorial. Hoje, a celebração faz parte de uma bela homenagem a todos aqueles que alcançaram o descanso eterno.

Desta vez, o canto de corais contou com a presença de nove grupos. Dentre eles, alguns são ligados à religião, outros são ligados apenas à cultura, mas, por meio da arte do canto coral, todos contribuíram com suas palavras de carinho e conforto para que se fizesse um momento de reflexão.

O atual diretor do Memorial Vera Cruz, Felipe Badotti, vê o evento como a principal celebração em homenagem aos que já partiram. “Esse é um momento muito importante, porque traduz a nossa preocupação com as memórias daqueles que já não estão mais aqui”, pontua.

A maestrina, Marisa Eichelberger, foi a escolhida da vez para reger as apresentações coletivas. Ela, que, originalmente, é maestrina do grupo Prosit, considera o empenho dos coralistas em cantar com o coração. “Neste evento, nós procuramos provocar uma experiência completa nas pessoas por meio da música. Os coralistas cantam com o coração, interpretando realmente o que a gente canta”.

Já o mestre de cerimônias oficial do Réquiem da Paz e fundador da solenidade, Wilson Lill, fala, com muito carinho, sobre o significado do evento, lembrando que “esse momento é especial para todos nós. Ninguém morre enquanto é lembrado, e nós nunca esquecemos daqueles que amamos, mesmo que eles já não estejam mais entre nós”.

O Réquiem sempre acontece na sexta-feira que antecede o dia de Finados.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®