Museu Olívio Otto celebra Semana Farroupilha com a exposição “Tropeirismo”

Abertura ocorre nesta sexta-feira, dia 14, e conta com aproximadamente 60 peças que remontam um dos períodos mais importantes da história econômica da região

Foto: DM/Anderson Favero

Compartilhe

Abertura ocorre nesta sexta-feira, dia 14, e conta com aproximadamente 60 peças que remontam um dos períodos mais importantes da história econômica da região

 

O Museu Olivio Otto promove a partir desta sexta-feira, 14, a exposição “Tropeirismo”, que traça um panorama histórico da atividade que representou o primeiro grande ciclo econômico da região de Carazinho, ainda nos séculos XVII e XVIII. São aproximadamente 60 itens que remontam o estilo de vida dos tropeiros, que tinham a responsabilidade de conduzir mulas da Argentina até o município de Sorocaba, em São Paulo, local onde os animais eram revendidos através de uma feira aos exploradores de ouro de Minas Gerais.

– Os tropeiros tinham a importante missão de conduzir as mulas por um longo trajeto para que elas fossem empregadas na atividade mineradora que preponderou sobretudo na região central do país. É interessante pensar que a economia da nossa região, inclusive da área que hoje compreende o município de Carazinho, tenha começado a partir do tropeirismo. Eles partiam daqui, iam até a Argentina, e depois regressavam com as mulas até São Paulo – explica Claudio Damião Braun, responsável pelo Museu.

O acervo que ficará exposto até o mês de dezembro foi organizado a partir de peças que compõem a reserva técnica do museu. São itens como esporas, estribos, armas, objetos usados na culinária, chicotes, pontas de lanças, entre outros. A história dos tropeiros também é contada a partir de texto, com diversos banners fixados junto às peças em exposição.

 

Tradição em destaque

Se valendo da passagem da Semana Farroupilha, o Museu Olivio Otto agregou à exposição outros itens que remontam a própria Guerra dos Farrapos, ocorrida entre 1835 e 1845. Entre eles destacam-se dois painéis gigantes com retratos dos principais personagens da Revolução, pintados com giz de cera, e também vestimentas e armas usadas durante o período.

– Toda a exposição se relaciona com a vida do gaúcho e permite um verdadeiro mergulho na nossa história. E Carazinho é uma cidade bastante privilegiada por oferecer uma riqueza de itens como esta, principalmente por estarmos localizados no interior do estado. Hoje em dia, muita coisa pode ser acessada pela internet, mas a sensação de estar frente a frente com peças tão antigas e importantes é sempre mais interessante e fica aqui o convite para toda a comunidade prestigiar essa exposição – ressalta Braun.

O Museu Olívio Otto está aberto para visitação de terça a sexta-feira, das 8h30min às 11h30min e das 14h às 17h. Aos sábados, o espaço localizado na Avenida Flores da Cunha, número 1246, ao lado da Prefeitura, permanece aberto das 14h às 17h. O valor da entrada é de R$ 2,00, sendo que nas quartas-feiras a entrada é franca.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®