Plantio de soja inicia na região

Em Carazinho, estimativa da Emater-RS é de que o plantio se aproxima dos 15% da área destinada à oleaginosa

Foto: Arquivo | Diário

Compartilhe

Produtores rurais começam a entrar nas lavouras com suas máquinas dando início ao plantio da soja, principal atividade econômica do agronegócio regional. Os sojicultores aproveitaram as condições climáticas que durante a semana possibilitaram o ingresso dos tratores e plantadeiras em áreas destinadas ao cultivo da oleaginosa.

De acordo com o agrônomo Mauro Rohr, como há uma previsão de chuvas acima da média para o mês de novembro, houve o registro de produtores que decidiram dar início ao plantio, que deve ser intensificado a partir da próxima semana na região. “Teremos entre o dia 1º e 10 de novembro o pico de formação das lavouras para a safra 2018/2019. Mesmo assim a conclusão deve acontecer mais adiante, podendo acontecer nos primeiros dias de dezembro”, comenta o agrônomo.

A média histórica para o mês de novembro fica pouco acima dos 132 milímetros, mas a previsão é que no período ocorram chuvas que acumularão 180 mm. Conforme a chefe do escritório da Emater-RS em Carazinho, Ana Clara Vian, o plantio da soja já foi realizado em quase 15% das lavouras que nesta safra irão receber a semente da oleaginosa.

A tecnologia como aliada

Segundo Mauro, o avanço da tecnologia que disponibiliza máquinas e implementos de grande porte e de extrema segurança reduz o tempo do plantio. “Em uma hora hoje é possível plantar três vezes mais do que em épocas anteriores. Além disso, os produtores ampliaram a estrutura de máquinas em suas propriedades, fator que também contribui para um plantio mais acelerado”, salienta.

Estimativa de custos

A estimativa é de que neste ano a média de investimento na formação da safra 2018/2019 fique na casa dos R$ 2.300,00 por hectare de área plantada. “Aquele produtor que realizou a compra dos insumos logo depois da conclusão da safra passada está gastando menos. Para se ter uma ideia, a saca de adubou ficou perto de R$ 20,00 mais cara a partir do segundo semestre do ano em função da alta que teve o dólar”, revela Rohr.

Números da cultura

Conforme o agrônomo na formação das lavouras o sojicultor faz o primeiro cálculo de produtividade levando em conta a aplicação de tecnologia. Num cálculo inicial, a soja é plantada em condições de produtividade acima das 80 sacas por hectare, mas com condições climáticas favoráveis.

O agrônomo alerta quanto ao manejo correto que o produtor deve ter no controle de doenças que podem surgir no decorrer do desenvolvimento da planta. “Este ano o sojicultor deve prestar atenção na ferrugem, identificada em plantas ‘guachas’ que não foram mortas pelas geadas deste inverno”, completou.

A estimativa é que a soja ocupe perto de 90% da área agricultável destinadas ao plantio de grãos das culturas de verão. Carazinho deverá plantar cerca de 40 mil hectares com soja.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®