Produtores preparam o solo para início do plantio da soja  

Uma das tarefas dos sojicultores é controlar a buva, erva daninha que pode causar o comprometimento da produtividade

Foto: Arquivo / DM

Compartilhe

Produtores começam a intensificar o movimento das máquinas rumo às lavouras visando o início do plantio da soja. As primeiras áreas devem receber sementes já a partir da segunda quinzena do mês de outubro, mas será a partir do começo de novembro que a semeadura será intensificada.

De acordo com o agrônomo Roger Uebel, no momento, o desafio dos sojicultores é trabalhar na dessecação da cobertura verde, que ocupou o solo durante o inverno, e controlar a buva, erva daninha que pode causar o comprometimento da produtividade da oleaginosa.

As orientações técnicas apontam para a necessidade de um controle químico rigoroso da erva daninha antes do plantio da cultura. “Os produtores aproveitam a dessecação das coberturas que ocupam os campos para aplicar controladores da praga em até dois momentos. O ideal é que façam uma segunda passada de controladores químicos momentos antes do plantio da soja, quando a buva está com tamanho de até 7 centímetros. Quem não realizar este trabalho certamente terá problemas com a erva daninha depois, quando não há mais como controlá-la”, explica o agrônomo.

Além de uma boa formação das lavouras tem o clima, que precisa ser favorável, Roger Uebel

Para o profissional, este é o momento do sojicultor acertar o manejo do solo, como primeiro passo importante para uma produtividade dentro dos investimentos que fará a partir da formação das lavouras.

Entre as observações que faz está a aplicação de produtos por duas vezes no processo de dessecação da cobertura verde. “A primeira pode ocorrer de 30 a 40 dias antes do plantio. A segunda pode ser nos momentos que antecedem a semeadura, mas sempre tendo o cuidado de utilizar o produto indicado para o período”, relata Uebel, lembrando que, na dúvida, o produtor deve buscar orientações e informações com técnicos da área agrícola.

Conforme o agrônomo, na sequência da dessecação os produtores devem entrar de forma definitiva nas lavouras para realizar o plantio dentro do período mais indicado tecnicamente.

Projeções

A tendência, segundo o agrônomo, é de que até o dia 20 de novembro o plantio da soja esteja concluído. “O plantio pode continuar a partir da data mais indicada, mas não é bom que haja um prolongamento muito grande, pois isto pode comprometer a produtividade”, alerta.

Em média, os produtores devem investir cerca de R$ 2,2 mil em insumos por hectare plantado. As projeções de colheita são valores médios de até 80 sacas por hectare da oleaginosa para a safra 2018/2019. “Além de uma boa formação das lavouras tem o clima, que precisa ser favorável”, completa Uebel.

 

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®