Diário da Manhã

Política

Decisão do PDT altera cargos políticos na região

Autor: Édson Coltz
Decisão do PDT altera cargos políticos na região
Foto divulgação/Câmara de Vereadores

Partido optou pela neutralidade em relação ao Governo do Estado. Entre os impactos, as Coordenadorias regionais de Educação e Saúde terão mudanças

A decisão do Partido Democrático Trabalhista (PDT) em deixar a base aliada do governo de Jose Ivo Sartori (PMDB) tem os primeiros reflexos em coordenadorias regionais. Por aqui, uma das alterações previstas é na 7ª Coordenadoria de Educação, comandada até então pelo professor Santos Olavo Misturini, que é filiado ao partido. Além dele, o coordenador adjunto de Saúde, Luiz Fabrício Scheis, também deverá ser substituído em breve. Ambos os órgãos estão sediados em Passo Fundo.

Na sessão plenária dessa segunda-feira (17) , na Câmara de Vereadores, parlamentares da sigla lembraram da decisão política estadual e citaram o trabalho executado pelos dois. Marcio Patussi e Luiz Miguel Scheis comentaram o tema na Tribuna, observados por Misturini que acompanhava a reunião plenária.

O Diretório Estadual do PDT tomou a decisão há cerca de uma semana, em encontro na capital. Entre as justificativas, o partido divulgou em nota que “A opção do PMDB em privatizar e desmontar a estrutura do Estado vendendo empresas públicas construídas pelos governos trabalhistas, como é o caso da CEEE, na área de energia, e do Banrisul, no sistema financeiro, aumentou a distância do PDT do atual governo”. As duas indicações do governador para as pastas dedicadas à legenda, Educação e Obras, estão com interinos uma vez que os titulares já haviam se afastado das funções. Em entrevista, nesse final de semana, à Rádio Web Piratini, Sartori afirmou que está buscando o equilíbrio entre as receitas, as despesas e a necessidade de investimentos e que, com a venda da CEEE, Sulgás e Companhia Rio-Grandense de Mineração, aumentam as possibilidades de obtenção da recuperação fiscal que está sendo pleiteada pelo Estado junto ao governo federal.

Além desse ponto, o PDT pretende apresentar candidato próprio ao Governo do Estado em 2018 e vem trabalhando o nome do ex-prefeito de Canoas e ex-petista, Jairo Jorge.

Avaliação

Santos Olavo Misturini foi nomeado em janeiro de 2015 e, acredita ele, deixará a Coordenadoria assim que retornar do período de férias, a qual cumpre. Ontem, avaliou os mais de dois anos no posto. “Mesmo dentro da precariedade, conseguimos movimentar 32 obras na 7ª Coordenadoria, isso foi um investimento significativo”, disse.

Além desse quesito, se disse orgulho por sua atuação em questões pedagógicas, norteadas por três aspectos: melhoria do Ideb, que é o índice de desenvolvimento; reaproximação das famílias com as escolas e a formação de “equipes” nas instituições escolares. “Trabalhamos, principalmente com diretores e supervisores, para entender porque não alcançavam 5 no Ideb e nas escolas todos os alunos passavam com notas 7, 8 ou 9. Foi o grande avanço, que os professores pudessem entender essa dicotomia. Trazer as famílias de volta à escola continua sendo difícil, pois a maioria dos pais repassa a responsabilidade à escola, que tenta discutir com eles os problemas de aprendizagem de seus alunos. Na questão de formação de equipes, fico feliz porque o problema da eleição de diretores fez com que se criassem grupos. Brigamos para que pudéssemos, mesmo após as eleições, formar equipes, ou seja, todos lutando para a construção do conhecimento”, resumiu Misturini, em entrevista.

Na mesma Sessão

Durante seu espaço de comunicação na Tribuna do Legislativo de Passo Fundo, o vereador Alex Necker (PCdoB) recordou o episódio ocorrido há um ano, quando os deputados federais votaram pela abertura do processo de impedimento da então presidenta, Dilma Rousseff (PT), significando, na opinião do legislador, um "duro golpe contra a democracia".

Para Alex, em nenhum momento daquela votação, transmitida em rede nacional, os parlamentares federais se detiveram na acusação que pesava contra a presidenta, que era a de ter cometido pedaladas fiscais. "Os votos foram dados pela família, pelos amigos, pelos filhos, por Deus. Nenhum deles votou pelo suposto crime. Foi um circo armado para manipular a opinião pública e legitimar um atentado contra a vontade popular", acusou o vereador comunista.

Ainda segundo o legislador, o processo de cassação de Dilma, concretizado em agosto, no Senado Federal, serviu para que o então vice-presidente, Michel Temer (PMDB), “tomasse o poder e implementasse uma agenda de retrocessos” nos direitos previdenciários, sociais e trabalhistas.

Comentários

Galerias de Fotos

Anuncie Aqui

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
AD-5167 Azul / Trip 06:55:00 Campinas Sextas
AD-5165 Azul / Trip 07:00:00 Campinas segunda a quinta e sábado
AD-5139 Azul / Trip 12:40:00 Campinas domingos às sextas

Baixe o Aplicativo do Jornal

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027