Diário da Manhã

Geral

Projeto de bibliotecária carazinhense é reconhecido em nível estadual

Autor: Mara Steffens Nogueira
Projeto de bibliotecária carazinhense é reconhecido em nível estadual
Fotos DM/Mara Steffens Nogueira

“O que temos para hoje” é uma criação de Traudi Hepp, que atua há 23 anos na Escola Estadual Cônego João Batista Sorg. Iniciativa já ultrapassou ambiente escolar e está presente em diferentes pontos na cidade

Traudi Hepp não se contenta apenas em atender os alunos que quererm retirar os livros da biblioteca da Escola Estadual Cônego João Batista Sorg. Preocupada em disseminar a importância da leitura e convencer os estudantes dos benefícios dela, a bibliotecária teve uma iniciativa simples, mas que rendeu bons frutos. Traudi criou o projeto “O que temos para hoje”, que reúne dezenas de frases em uma cesta e fica a disposição do estudantes na entrada da biblioteca. Ela se surpreendeu com a repercussão. Atraídos pelos dizeres que são retirados da internet ou de livros, aos poucos, os frequentadores do local foram aumentando, repercutindo também na leitura de obras maiores. “Eu pensei que eles não iriam achar graça. Minha intenção era atraí-los para a biblioteca e incentivá-los a ler mais e fiquei surpresa. Eles gostaram tanto que aparecem todos os dias para ler uma frase. Muitos passaram a vir até a biblioteca procurar algo a mais, não somente as frases, mas os livros!”, comemora, ressaltando que quem lê acaba se identificando com o escrito, encarando-o como um conselho.

O projeto não ficou restrito apenas ao interior da escola. Pensando em levar literatura para pessoas de diferentes faixas etárias, Traudi resolveu ampliar a iniciativa e colocar mais cestas com frases em outros pontos da cidade. A academia que ela frequenta, a portaria do Hospital de Caridade de Carazinho – HCC, e a recepção do Grupo Diário da Manhã são alguns dos locais que disponibilizam uma delas. “É uma forma das pessoas terem uma leitura diária, mesmo que breve. Isso abre portas para despertar o interesse pela leitura. As pessoas acabam querendo lendo mais, além de somente pequenas frases, mas uma obra inteira”, ressalta.

Sobre as mudanças que a iniciativa provocou no educandário a profissional diz que se sente gratificada. “Eles me cobram para renovar as frases periodicamente e percebo que eles estão querendo ler mais. Para ler uma frase da cesta, geralmente eles precisam ir até a biblioteca. Lá se contagiam com o ambiente literário e acabam escolhendo um livro. É estimulante”, menciona. “Alguns sequer iam até a biblioteca. Com as frases foram atraídos e hoje estão lendo mais. Até usam as frases que leem para atualizar status nas redes sociais. Existe uma interação com a tecnologia”, acrescenta.

Traudi observa ainda que um dos objetivos é incentivar o contato físico com a literatura. “Num mundo tão tecnológico, que a leitura muitas vezes está ao alcance de um clic, manusear um livro e ter contato com ele continua sendo muito importante. Você pode até ler na internet, mas não terá a chance de folhear as páginas, tocar na capa”, constata.

Reconhecimento estadual
A secretaria estadual de Educação premiou nesta semana as melhores iniciativas por coordenadoria de educação, durante a programação da Semana Estadual do Livro e de Incentivo à Leitura. O trabalho de Traudi no Sorg foi o indicado pela 39ª CRE, sediada em Carazinho. Ela esteve em Porto Alegre e recebeu das mãos do secretário Luís Antônio Alcoba de Freitas e da diretora do Departamento Pedagógico, Márcia Coiro, o certificado de reconhecimento.

Rogério Santos Barbier, diretor do Sorg, diz que a comunidade escolar está orgulhosa da bibliotecária. “Este reconhecimento é reflexo do trabalho dela na escola. A Traudi é uma pessoa muito especial e ama o que faz. Ela gosta de ler e repassa esta paixão aos demais e os alunos são contagiados com isso. Ela conseguiu a proeza de fazer com que o projeto dela ultrapassasse os muros da escola e atingisse a comunidade, o que é muito importante também”, elogia. “Ela foi a única servidora de escola indicada no Estado. Num universo de centenas de professores de literatura ela,que trabalha na biblioteca, consegue se destacar de quem está em sala de aula. Em um um ambiente que muitas vezes fica à parte da escola e ela consegue fazer um espaço agregador. Sempre tem alunos lá”, complementa.

Outras iniciativas

Um pouco mais resistentes à leitura que pessoas de outras faixas etárias, os adolescentes acabaram envolvidos na iniciativa. “A gurizada do primeiro ano é ainda mais por falta de projeto incentivadores durante a vida escolar e não estou querendo criticar. Aqui, paralelo ao que é trabalhado em sala de aula, a Traudi agrega ao trabalho dos professores. Os alunos acabam motivados para ler”, argumenta Barbier, referindo-se a outras iniciativas que ocorrem na escola. Uma delas é da professora Liane Junges, que criou o “Poesia de Lombada”. Neste projeto, os alunos precisam criar poesia usando apenas nomes de livros. Assim, eles precisam pesquisar os títulos que melhor se encaixam nas suas produções.

Outra iniciativa desenvolvida na escola, iniciada por Carla Rosane de Oliveira e agora liderada por Traudi, é o Piquenique Literário, geralmente realizado em épocas como a Semana Estadual do Livro (realizada agora) e o Dia Internacional do Livro, em 29 de outubro.

Comentários

Galerias de Fotos

Anuncie Aqui

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
AD-5167 Azul / Trip 06:55:00 Campinas Sextas
AD-5165 Azul / Trip 07:00:00 Campinas segunda a quinta e sábado
AD-5139 Azul / Trip 12:40:00 Campinas domingos às sextas
O6-6179 Avianca 15:10:00 São Paulo domingos às sextas

Baixe o Aplicativo do Jornal

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027