Diário da Manhã

Economia

Bolsa Família injeta mais de R$ 247 mil por mês na economia

Autor: Alessandro Tavares
Bolsa Família injeta mais de R$ 247 mil por mês na economia
Foto: Arquivo/DM

O número de famílias consideradas em extrema pobreza em Carazinho cresceu pouco mais de 2% nos últimos seis meses. O município tem hoje 861 famílias com renda per capita familiar inferior a R$ 85,00 por mês e 1965 famílias com renda per capita de até R$ 170,00 mensais que recebem o Bolsa Família

Segundo os dados da Secretaria Nacional de Renda e Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, no mês de abril o Governo Federal pagou por meio do Programa Bolsa Família (PBF) mais de R$ 247 mil a 1965 famílias carazinhenses. Os indicadores do Ministério apontam que com tais números 86,4% da população considerada pobre na cidade esta sendo assistida. Segundo a gestora do Cadastro Único e do Bolsa Família no município, Elenice dos Santos, a família beneficiaria recebe do Programa o valor de R$ 39,00 para cada criança de zero a 15 anos até o limite de cinco crianças por família. Segundo a última atualização do Cadastro Único, Carazinho registrava a inserção de 7633 famílias no sistema. A gestora comenta que o Cadastro Único é a porta de entrada do cidadão aos programas sociais do Governo Federal que reúne informações socioeconômicas das famílias brasileiras de baixa renda.

Estas informações permitem ao governo conhecer as reais condições da vida da população e a partir de tal mapeamento selecionar as famílias a serem beneficiadas pelos programas já existentes e os que por ventura serão criados. Elenice explica que embora o Bolsa Família seja um dos programas mais conhecidos ele atende apenas pouco mais de 25% das pessoas que estão inscritas no Cadastro Único. Elenice conta que mesmo que os inscritos no Cadastro Único não recebam o Bolsa Família, poderão estes ser abrangidos por outros programas como Tarifa Social (de energia elétrica), Programa Minha Casa Minha Vida e gratuidade na inscrição em concursos e seleções públicas como o Enen, por exemplo.

Para receber o Bolsa Família a renda per capita da família deve ser inferior a R$ 170,00 quando passa a ser considerada em situação de pobreza, ou então com renda entre R$ 0,00 e R$ 85,00 quando a condição é considerada de extrema pobreza. Os dados do Ministério também indicam que o número de famílias que são consideradas em extrema pobreza teve um pequeno aumento nos primeiros meses deste ano em Carazinho passando de 842 ao final de 2016 para 861 famílias até fevereiro deste ano, um aumento de pouco mais de 2%. “Nos primeiros meses deste ano notamos que houve uma procura maior de pessoas que vieram até nós queixando-se que perderam o emprego ou que por algum motivo não conseguem mais atender as despesas da família, porém nos últimos meses notamos que também este tipo de colocação diminuiu e, portanto esperamos que o indicador de pobreza comece a dar uma estagnada” comenta Elenice.

Conforme a servidora, a liberação de recursos do Programa Bolsa Família, não são autorizados pelo município e sim pelo Ministério, o ente municipal realiza apenas o cadastro e sua atualização, a avaliação sobre o enquadramento nos critérios em programas e a concessão de benefícios. De acordo com Elenice segue uma fila de pessoas pleiteando o Bolsa Família e critérios como orçamento destinado a tal finalidade, assim, após o cadastro, em média das pessoas que correspondem a faixa populacional que se enquadra nos critérios no Bolsa  Família, o benefício pode levar até mais de 90 dias para começar a ser pago. Segundo Elenice, diariamente aportam no setor ao menos 10 pessoas que manifestam interesse em inserir seu nome no Cadastro Único ou atualizar as informações. Elenice lembra que toda alteração de situação familiar, mesmo que de endereço, deve ser comunicada ao Cadastro que obrigatoriamente precisa ser atualizado a cada dois anos sob pena de restrição aos programas. A gestora alerta que a partir deste ano todas as famílias que tenham integrantes que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) também devem ter registro no Cadastro Único.

 

Famílias registradas no Cadastro Único e suas faixa de renda

Renda Per Capita Familiar 

 número de famílias

Renda Per Capita Familiar de R$ 85,01 a R$ 170,00

1450

Com Renda Per Capita Familiar entre R$ 170,01 e meio salário

2816

Acima de um salário mínimo

2232

Comentários

Galerias de Fotos

Anuncie Aqui

Horários de Voos

Vôo Empresa Horários Destino (s) Frequência
AD-5167 Azul / Trip 06:55:00 Campinas Sextas
AD-5165 Azul / Trip 07:00:00 Campinas segunda a quinta e sábado
AD-5139 Azul / Trip 12:40:00 Campinas domingos às sextas
O6-6179 Avianca 15:10:00 São Paulo domingos às sextas

Baixe o Aplicativo do Jornal

Matriz

Curta o Diário

(54)3316-4800Passo Fundo

(54)3329-9666Carazinho

  • Passo Fundo: (54) 9905-7864

    Carazinho: (54) 9959-5027