Gasolina reduz 15 centavos em cinco dias

Queda é atribuída a reduções de distribuidoras e concorrência entre postos. Tendência é de estabilidade nos preços e até mais diminuições

Foto: Arquivo | Diário

Compartilhe

O preço da gasolina reduziu significativamente nos últimos dias em Carazinho. Conforme levantamento realizado pelo Diário nesta quarta-feira (9), o preço médio do combustível nos postos da cidade era de R$ 4,23 ao litro, uma redução de 15 centavos no comparativo com o último levantamento realizado pelo Diário, na sexta-feira (4).

Na avaliação de gerentes e proprietários de estabelecimentos carazinhenses, a baixa registrada nesses cinco dias é atribuída a dois fatores centrais, a redução do custo do combustível, ocorrida após novas baixas repassadas pela Petrobras, e ao comportamento da concorrência entre os estabelecimentos.

Em relação aos preços da Petrobras, desde o fim de dezembro até o meio desta semana, três reduções foram implementadas pela estatal brasileira, totalizando uma baixa de 8%. O valor cobrado pela petroleira às refinarias passou de R$ 1,5554 em 28 de dezembro para R$ 1,4337 nesta quarta-feira (9).

Para o presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Estado do RS (Sulpetro), João Carlos Dal’Aqua, essa baixa da Petrobras é influenciada, principalmente, pela cotação internacional do petróleo. “O preço do barril do petróleo no mercado internacional caiu nos últimos tempos. Diante disso, a Petrobras começou a repassar para as distribuidoras essa redução”, informa Dal’Aqua.

Concorrência e impostos contribuem para baixa nos preços

O presidente do Sulpetro também cita outro fator que auxiliou para os combustíveis, em especial a gasolina, registrar baixas recentes. “O que também pesou nessas diminuições foi que na virada do ano o governo do Estado alterou o preço de referência dos combustíveis, valor-base no qual é cobrado o ICMS. Esse preço baixou cerca de 30 centavos, passando de R$ 4,84 para R$ 4,55 neste começo de janeiro. Isso impacta no preço final também”, explica o profissional.

Gasolina comum podia ser encontrada em Carazinho nesta quarta-feira (9) a preços entre R$ 3,85 a R$ 4,29 ao litro

Além disso, Dal’Aqua lembra que rotineiramente nos primeiros meses do ano há diminuição no volume de comercialização de combustíveis, fazendo com que os estabelecimentos apelem para promoções e preços especiais, buscando atrair os consumidores. Essa, inclusive, é a realidade em Carazinho, conforme relata o proprietário da rede de postos PV, Marcio José Vendruscolo.

– Nós temos um custo na aquisição do combustível, que embasa a formação do nosso preço, mas é especialmente a concorrência que determina o valor final, porque conforme o que um coloca, nós colocamos e assim vai se definindo – explica Vendruscolo.

Nesta quarta-feira (9), conforme levantamento do Diário, a gasolina comum chegava a ser encontrada a R$ 3,85 em alguns estabelecimentos. Além disso, uma rede oferecia ainda mais descontos na utilização do cartão da empresa. Ao escolher esta forma de pagamento, os clientes podiam abastecer pagando R$ 3,59 ao litro da gasolina comum. Já o valor mais caro encontrado foi R$ 4,39 em um posto com bandeira de uma multinacional.

Tendência de queda para o futuro

Para o presidente do Sulpetro, a tendência para os próximos dias é de estabilidade ou até mais quedas nos preços, apesar das várias interferências que o setor pode sofrer. “Fica difícil de fazer uma previsão porque o mercado depende muito de ‘players’ que fogem ao nosso alcance, pois, por exemplo, algum país pode tomar uma decisão que pode afetar todo o mundo. Mas, a nossa expectativa é de que o cenário continue. Não há nada, no momento, que possa alterar essa configuração. Inclusive, o novo presidente da Petrobras já sinalizou que a estatal deverá continuar com a política de preços alinhada ao cenário internacional. E, atualmente, o viés existente é de estabilidade a queda”, assinala Dal’Aqua.

Ainda de acordo com o presidente do Sulpetro, a manutenção desse cenário cria uma reação em cadeia de baixas. “Com as reduções constantes, o preço de referência dos combustíveis para cobrança do ICMS no Estado também diminui, consequentemente, o total de imposto cobrado baixa e o valor final do produto cai”, conclui.

Carazinho segue com média de preço menor do que a estadual

Assim como registrado no fim da semana passada, Carazinho segue com o preço médio da gasolina abaixo da média estadual. Enquanto no estado o valor da gasolina é de R$ 4,48, na cidade o combustível é encontrado, em média, a R$ 4,23. O preço estadual foi calculado pela ANP e considera os valores praticados pelos postos gaúchos entre os dias 30 de dezembro a 5 de janeiro. Além disso, a gasolina em Carazinho também é menor no comparativo com a média nacional, que, segundo a ANP, foi de R$ 4,33, em levantamento também realizado entre 30 de dezembro e 5 de janeiro.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®