Limpa Nome da Serasa oferece descontos de até 95% nos juros

Feira anual possibilitará aos inadimplentes a chance de quitar suas dívidas em negociações exclusivas

Foto: Caetano Barreto/Diário

Compartilhe

A empresa de análise de crédito Serasa Experian lançou, nessa semana, mais uma edição do Feirão Limpa Nome. Neste ano, novamente a empresa centralizará as negociações na sua plataforma online, que pode ser acessada também por smartphones. Agora, também é possível renegociar o valor, decidir a quantidade de parcelas e, ainda, gerar boletos online.

O feirão vai até o dia 1º de dezembro, e esse ano oferecerá descontos de até 95% nos juros para quem quiser renegociar sua dívida, e também os prazos para o pagamento foram estendidos. Para isso, basta entrar no site, fazer um cadastro, e então consultar as ofertas disponíveis.

Facilidade na negociação

A campanha tem a participação do Santander, Itaú, Porto Seguro, CredSystem, Ipanema Credit Management, Recovery, Tricard, Vivo, Net, Claro e Embratel. O boleto de pagamento pode ser gerado na hora, e o consumidor ainda pode escolher entre fazer o download, copiar o código de barras para fazer o pagamento por um aplicativo bancário, ou mandar para seu e-mail. “O feirão é um momento esperado pelos consumidores. Durante todo o período, os parceiros integrados ofertarão condições especiais para quem quiser pagar suas dívidas”, afirma Lucas Lopes, gerente do Serasa Limpa Nome.

Para Giresse Contini, gerente de Marketing do Serasa Consumidor, a edição deste ano do Feirão será muito especial, visto que nos últimos meses o assunto inadimplência esteve mais do que nunca nos principais debates do país: “Essa é uma bandeira que sempre levantamos e lutamos aqui no Serasa Consumidor, ajudar o cidadão brasileiro a sair do negativo”, declara Contini.

Números da Inadimplência

Conforme um estudo da Serasa Experian, em setembro, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 61,4 milhões. Anteriormente, em setembro de 2017, eram 60,5 milhões. O montante alcançado pelas dívidas no mês foi de R$ 274,1 bilhões. A média de quatro dívidas por CPF totaliza R$ 4.462,00.

Semelhantemente, a maior concentração dos negativados tem entre 41 e 50 anos (19,8% do total). Em segundo, está o grupo de pessoas de 61 anos ou mais, que correspondem por 14,4% do total.

O estudo revela que os homens representavam 50,8% dos inadimplentes. A maioria das dívidas foi contraída junto aos setores bancários e de cartão de crédito (28,5% do total). O setor de serviços básicos (energia elétrica, água e gás) respondeu por 19,1% do total de débitos em atraso. O setor de telefonia alcançou 11,8% do montante. Já o setor de serviços respondeu por 10,5% da inadimplência.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®