Pandemia avança: Conselho Municipal de Saúde recomenda lockdown em Passo Fundo

Carta encaminhada à Prefeitura elenca orientações para tentar conter a disseminação da Covid-19, que já vitimou 340 passo-fundenses só neste ano – poder público afirma que vai analisar possibilidade de novas medidas

Conter a disseminação seria possível com restrições mais rígidas de circulação. Foto: Rebecca Mistura | Diário

Compartilhe

Em reunião realizada no último dia 8 de junho, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) elaborou uma carta de recomendações destinada ao Executivo Municipal, com medidas para conter o avanço da pandemia de Covid-19 em Passo Fundo.

O conselho, que atua na formulação de estratégias e execução de políticas públicas de saúde, elenca oito orientações em documento que foi encaminhado à Prefeitura na sexta-feira (11).

Um lockdown de duas semanas está entre as sugestões “diante do aumento de pessoas infectadas pelo coronavírus e inexistência de leitos disponíveis nos hospitais”, conforme se lê na carta.

Para a coordenadora do CMS, Leonilde Zamuner, conter a disseminação seria possível somente com restrições mais rígidas e distanciamento. “Passo Fundo é um polo, aqui fica no centro de todo o Estado, com ônibus que vem de todo o lugar, sem controle de verificação. Temos uma nova cepa do vírus, a Delta, que é mais contagiosa, e temos visto um grande número de perdas”, afirma.

“Ano passado tivemos 222 óbitos pela doença. Este ano, nós temos 340 mortes em cinco meses e meio. Só nesse período temos quase o dobro das vidas perdidas em 2020”.

As demais recomendações incluem reforço às medidas de vigilância sanitária na rodoviária, ajudas às famílias afetadas economicamente pela pandemia e maior qualificação da fiscalização em empresas e estabelecimentos.

Em contato com a Prefeitura de Passo Fundo, a informação é de que o Município avalia a carta e deve responder nos próximos dias. No entanto, para o momento, não há previsão de novas medidas restritivas.

Atualmente, a cidade opera com protocolos gerais determinados pelo governo do Estado, como uso de máscara e teto de ocupação, além de medidas regionais, como a limitação no horário de funcionamento dos serviços não essenciais.

Região em alerta

Desde 20 de maio, a região Covid de Passo Fundo opera no nível de “Ação”, conforme sistema de monitoramento do Governo do Estado.

O índice indica a necessidade da adoção de medidas mais contundentes para tentar frear a disseminação do vírus, uma vez que o território opera com 100% de ocupação dos leitos de UTI e mais de 4 mil casos da doença confirmados nos últimos sete dias.

Na sexta-feira passada, o Gabinete de Crise (GT) do estado se reuniu com prefeitos da região, ocasião em que a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, reiterou a necessidade de adotar “protocolos obrigatórios mais restritivos, objetivando justamente diminuir o número de casos, a taxa de ocupação de leitos e o número de óbitos”, uma vez que o GT entende que as medidas adotadas no plano de Ação da região não estão sendo eficazes na diminuição do contágio pelo coronavírus.

LEIA TAMBÉM



Leia grátis nossos
cadernos digitais



Comentários
Coronavírus
em Passo Fundo
Ativos 436 icone-virus
Confirmados 35.159 icone-virus
Recuperados 34.074 icone-virus
Mortes 649 icone-virus
Vacinados 115.442 icone-virus
Coronavírus
em Carazinho
Ativos 23 icone-virus
Confirmados 11.073 icone-virus
Recuperados 10.790 icone-virus
Mortes 260 icone-virus
Vacinados 32.661 icone-virus



Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®