RS é o segundo estado em adesão à CNH Digital

Desde que o Detran disponibilizou o serviço através de aplicativo, mais de 100 mil gaúchos já baixaram o documento eletrônico em seus smartphones

Fotos: Anderson Favero | Diário

Compartilhe

A adesão dos gaúchos à Carteira Nacional de Habilitação Digital (CNH-e) tem sido grande. Desde que o serviço foi disponibilizado no estado, em dezembro de 2017, ela já foi baixada por 101.269 gaúchos. O Estado é o segundo da federação com o maior número de documentos digitais, ficando atrás apenas de São Paulo, que emitiu 105.391 CNH-e no período. A informação foi divulgada nesta semana pelo Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS) e aponta, ainda, que em todo o país, mais de 500 mil motoristas utilizam a Carteira Nacional de Habilitação no celular.

Com o mesmo valor jurídico do documento impresso, a CNH-e é uma versão eletrônica da carteira de motorista, podendo o condutor optar por utilizá-la ou não. É o que explica Renato Weber, proprietário do Centro de Formação de Condutores (CFC) Weber. “Para obtê-la, o condutor deve baixar o aplicativo ‘Carteira Digital de Trânsito’, disponível gratuitamente no Google Play Store e pela App Store. Entretanto, o documento eletrônico só pode ser gerado para quem tem a última versão da CNH impressa, que conta com um QR Code na parte interna. O código está disponível nos documentos emitidos a partir de maio de 2017”, explica.

Antes de baixar o app, no entanto, o condutor deve ter um número de celular e um endereço de e-mail cadastrados junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Para isso, as opções são duas: dirigir-se a qualquer CFC, informar os dados – caso não estejam atualizados – e então realizar um cadastro no site do Denatran ou, ainda, para quem possui certificação digital, comunicar todos os dados diretamente no Portal do Denatran. O documento eletrônico armazena todas as informações da carteira impressa, garantindo a autenticidade do documento.

O proprietário do CFC Weber, Renato Weber, explica que o documento digital tem o mesmo valor jurídico do documento impresso e pode ser apresentado pelo condutor durante a realização de blitz

Vantagens

Praticidade, segurança e comodidade para o condutor são algumas das vantagens do sistema. “Hoje em dia, o uso do celular se tornou praticamente indispensável entre a população. Não há quem não tenha consigo um aparelho. Então, com o app baixado, se torna mais prático acessar o documento e também apresentá-lo em blitz, já que a CNH-e é válida para essas situações”, explica Weber. Nesse contexto, o documento digital é acessível offline, sem necessidade de conexão wi-fi ou dados móveis habilitados.

– Toda vez que o condutor aciona o aplicativo, ele comunica o dia, a hora e o segundo do acesso. Então, em casos de blitz em que o condutor precise mostrar o documento, ele trará maior segurança, pois o sistema inviabiliza qualquer tipo de fraude – destaca Renato Weber.

Procura em Carazinho

De acordo com Weber, tendo por base os atendimentos prestados no CFC, a procura dos carazinhenses por informações relacionadas à CNH-e é grande. “Há uma procura significativa, tanto presencial quanto por telefone. As pessoas querem saber como funciona e como acessar. Nós indicamos como elas devem proceder e destacamos que é gratuito e proporciona maior praticidade”, cita.

O condutor carazinhense Deloir da Silva Fistarol, 41 anos, obteve a CNH assim que completou a maioridade. Desde então, ele se mantém atento às novidades que envolvem sua habilitação, já que atua como entregador de mercadorias. Neste ano, por intermédio da filha, ele tomou conhecimento sobre o documento digital e baixou o app.

– Tem essa praticidade de poder acessar do celular e sem precisar ter internet. Isso é ótimo porque às vezes, devido à correria do dia a dia, podemos esquecer a carteira com os documentos em casa. Se estou com o celular, garanto que a CNH estará comigo – destaca.

Apesar do sucesso entre os gaúchos, a versão impressa da CNH continuará sendo emitida normalmente, mas o condutor poderá dirigir apenas com a CNH-e se preferir. Nesse caso, deverá atentar para o funcionamento de seu celular, já que, para efeitos de fiscalização, se o aparelho estiver descarregado, será considerado que a CNH não está sendo portada e o condutor correrá o risco de ser autuado com base no artigo 232 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que prevê multa de R$ 88,38, três pontos na CNH e retenção do veículo até a apresentação do documento.

No google play, o aplicativo Carteira Digital de Trânsito tem oito mil avaliações com nota de 2,9 numa escala que vai de zero a 5. Apesar de não obter a nota máxima, os elogios ao aplicativo são inúmeros por parte dos usuários. Nos casos em que o condutor extraviar seu smartphone ou tiver o aparelho roubado, o bloqueio da CNH digital poderá ser feito no site do Denatran.

Leia grátis o jornal digital

Comentários
Diário da Manhã

Diário da Manhã - Todos os direitos reservados. All rights reserved ®